Total de visualizações de página

sábado, 22 de maio de 2010

JOGOS INESQUECÍVEIS (2)

EM UMA SEMANA, DUAS REAÇÕES ESPETACULARES

Na última semana do mês de março de 1958 aconteceram duas reações que entraram para a história do Botafogo.

A primeira delas aconteceu no dia 23 de março de 1958, no Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).
Desenvolvendo um jogo magnífico, o Atlético Mineiro venceu o primeiro tempo por 4 x 0. Marcaram os gols: Tomazinho, aos 6; e Alvinho aos 34, 37 e 38.
Tão boa era sua atuação que todos esperavam por um aumento da goleada na fase final.
Mas o Botafogo retornou ao campo com maior disposição e conseguiu uma reviravolta impressionante no segundo tempo, marcando cinco tentos e alcançando uma vitória histórica.
Começou com Édson, aos 11, Garrincha, aos 27, Paulinho Valentim, aos 30, e duas vezes com Quarentinha, aos 36 e 42 minutos do segundo tempo.
O Atlético Mineiro comemorava seu cinqüentenário e este foi o presente dado pelo Botafogo!
As duas equipes jogaram assim:
BOTAFOGO: Adalberto, Beto e Thomé; Servílio, Pampolini e Nilton Santos; Garrincha (Neivaldo), Didi, Paulinho, Édson (Rossi) e Quarentinha. Técnico: João Saldanha.
ATLÉTICO MINEIRO: Mussula, Anísio e Benito; Hilton Chaves, Jair e Nilsinho; Márcio, Tomazinho, Paulinho, Alvinho e Dino. Técnico: Newton Anet.
O árbitro do jogo foi Gualter Gama de Castro.

Precisamente uma semana depois, aconteceu a segunda reação espetacular do Botafogo: no dia 30 de março de 1958, no Estádio Augusto Bauer, em Brusque (SC). O adversário foi o Carlos Renaux local, que era o vice-campeão estadual naquele ano.
O primeiro tempo terminou com o placar de 4 x 1 para o Carlos Renaux. Agenor, aos 18 minutos, fez 1 x 0. Julinho aumentou para 2 x 0 aos 21. Quarentinha, aos 25, diminuiu para o Botafogo. Teixeirinha aumentou para 3 x 1 aos 28. Servílio, contra, aumentou o prejuízo carioca: 4 x 1. No tempo final, aos treze minutos, os locais marcaram o quinto gol, através de Petruski. Aí, aconteceu o que ninguém esperava, a reação espetacular do Botafogo.
Édson, aos 20, Garrincha, aos 22, Neivaldo, aos 35 e Didi, aos 41 marcaram os tentos alvinegros, empatando o jogo em 5 x 5.
Assim jogaram as equipes:
CARLOS RENAUX: Mossimann, Baião e Ivo; Tesoura, Gordinho e Esnel; Julinho, Petruski, Júlio Camargo (Vicente), Teixeirinha e Agenor.
BOTAFOGO: Adalberto, Beto (Ronald), Domício e Nilton Santos (Ademar); Servílio e Pampolini; Garrincha, Didi, Paulinho Valentim (Rossi), Édson e Quarentinha (Neivaldo).
Foi árbitro da partida o carioca Antônio Viug.

Nenhum comentário:

Postar um comentário