Total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de julho de 2012

CURIOSIDADES ALVINEGRAS: OLAVO BILAC


O poeta Olavo Braz Martins dos Guimarães Bilac foi botafoguense fanático de primeira hora.
Amigo e admirador de Antônio Mendes de Oliveira Castro, seu companheiro de boêmia, enviou ao notável remador um postal, felicitando-o pelo primeiro título de campeão brasileiro.
A revista Careta também registrou sua presença no batismo da baleeira “Salamina”, em 28 de abril de 1910, quando empunhou a flâmula alvinegra e pronunciou as palavras tradicionais: “Eu te batizo Salamina para o mar e para a glória”.

Fonte: Botafogo O Glorioso Uma História em Preto e Branco.

sábado, 28 de julho de 2012

PERSONALIDADES ALVINEGRAS: OCTÁVIO PINTO GUIMARÃES


Octávio Pinto Guimarães não trabalhou apenas em futebol. Funcionou em muitas outras atividades, apresentando um currículo extenso, que comprova toda a sua competência.
Octávio nasceu em 26 de maio de 1922, na cidade do Rio de Janeiro. Foi filho de Mário Buarque Pinto Guimarães e Elvira Couto Pinto Guimarães.
Casou-se com Heloísa Helena Schuback Pinto Guimarães, em 1960. Seu filho, nascido em 1963, chama-se Octávio Pinto Guimarães Filho.
Em 1944, Octávio Pinto Guimarães formou-se em Direito pela Faculdade Nacional da Universidade do Brasil, inscrito na O.A.B. sob o número 4.482. Foi funcionário do Ministério da Viação e Obras Públicas de 1938 a 1942, do Ministério da Educação e Saúde, de 1942 a 1945 e do Banco do Brasil S. A. a partir de 21 de junho de 1945, tendo sido nomeado seu advogado em 10 de janeiro de 1953, aposentando-se no último posto da carreira, em 22 de março de 1974.
Em 1974 passou a ser diretor financeiro da Riotur, dividindo o tempo com suas atividades de dirigente de futebol.
No campo esportivo, trabalhou como diretor da Federação Metropolitana de Basquetebol, em 1942. Foi representante do Botafogo na mesma entidade, de 1942 a 1947. Foi ainda secretário-geral da Confederação Brasileira de Desportos Universitários, de 1942 a 1944; presidente da mesma entidade de 1944 a 1946, representante do Botafogo na Federação Carioca de Futebol, de 1944 a 1949 e de 1958 a 1967. No basquetebol, foi presidente dos Conselhos Supremo e de Julgamentos da Federação Metropolitana da modalidade, de 1950 a 1954.
No Botafogo, Octávio Pinto Guimarães foi diretor de futebol, de propaganda e do departamento Técnico-Administrativo, de 1959 a 1963. No mesmo clube foi eleito vice-presidente de 1964 a 1967.
Teve uma passagem vitoriosa pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, a qual presidiu por mais de 18 anos, com nove reeleições.
Foi presidente da Confederação Brasileira de Futebol no período de 17 de janeiro de 1986 a 16 de janeiro de 1989.
Faleceu no dia 28 de junho de 1990, no Hospital Beneficência Portuguesa, vítima de câncer.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

SÚMULAS: O BOTAFOGO NO CAMPEONATO CARIOCA DE 1954


BOTAFOGO 3 x 1 OLARIA
Data: 22/08/1954
Local: General Severiano
Árbitro: Serafim Moreno
Renda: Cr$ 84.995,00
Gols: Carlyle, Garrincha e Dino da Costa / Washington
BOTAFOGO: Gilson, Orlando Maia e Nilton Santos; Bob, Ruarinho e Juvenal; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Quarentinha e Neyvaldo. Técnico: Gentil Cardoso.
OLARIA: Wilson, Osvaldo e Jorge; Olavo, Moacir e Haroldo; Eltes, Washington, Gringo, Maxwell e Mário. Técnico: Délio Neves.

BOTAFOGO 2 x 0 MADUREIRA
Data: 29/08/1954
Local: Conselheiro Galvão
Árbitro: Amílcar Ferreira
Renda: Cr$ 125.035,20
Gols: Dino da Costa (2)
BOTAFOGO: Gilson, Orlando Maia e Nilton Santos; Bob, Ruarinho e Juvenal; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Quarentinha e Neyvaldo. Técnico: Gentil Cardoso.
MADUREIRA: Irezê, Deuslene e Darci; Ápel, Weber e Mário; Zezinho, Machado, Dirceu, Edson e Osvaldo. Técnico: Plácido Monsores.

BOTAFOGO 3 x 1 CANTO DO RIO
Data: 05/09/1954
Local: Caio Martins
Árbitro: Amílcar Ferreira
Renda: Cr$ 144.048,00
Gols: Dino da Costa (2) e Quarentinha / Zequinha
BOTAFOGO: Gilson, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Orlando Maia, Ruarinho e Juvenal; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Quarentinha e Neyvaldo. Técnico: Gentil Cardoso.
CANTO DO RIO: Celso, Cosme e Carlos; Roberto, Moreno e Dico; Almir, Osmar, Zequinha, Edésio e Jairo. Técnico: Alcebíades Bessa.

BOTAFOGO 4 x 2 PORTUGUESA
Data: 12/09/1954
Local: Laranjeiras
Árbitro: Diego Di Léo
Renda: Cr$ 55.273,70
Gols: Quarentinha (2), Dino da Costa e Garrincha / Neca e Ivan
BOTAFOGO: Gilson, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Bob, Ruarinho e Juvenal; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Quarentinha e Neyvaldo. Técnico: Gentil Cardoso.
PORTUGUESA: Antoninho, Válter e Cicarino; Áureo, Elba e Mário Faria; Guilherme, Ivan, Miltinho, Neca e Baduca. Técnico: Durval Caldeira.

BOTAFOGO 1 x 3 VASCO DA GAMA
Data: 19/09/1954
Local: Maracanã
Árbitro: Diego Di Léo
Renda: Cr$ 1.251.489,20
Gols: Quarentinha / Ademir Menezes (2) e Pinga
Expulsão: Ruarinho.
BOTAFOGO: Gilson, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Orlando Maia, Ruarinho e Juvenal; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Quarentinha e Neyvaldo. Técnico: Gentil Cardoso.
VASCO DA GAMA: Barbosa, Paulinho e Bellini; Mirim, Laerte e Dario; Sabará, Ademir Menezes, Vavá, Pinga e Parodi. Técnico: Flávio Costa.

BOTAFOGO 2 x 3 FLUMINENSE
Data: 25/09/1954
Local: Maracanã
Árbitro: Joseph Gulden
Renda: Cr$ 374.057,30
Gols: Paulinho (2) / Valdo, Robson e Escurinho
BOTAFOGO: Gilson, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Arati, Bob e Juvenal; Garrincha, Dino da Costa, Quarentinha, Paulinho e Neyvaldo. Técnico: Gentil Cardoso.
FLUMINENSE: Castilho, Getúlio e Duque; Jair Santana, Édson e Bigode; Telê, Didi, Valdo, Robson e Escurinho. Técnico: Zezé Moreira.

BOTAFOGO 0 x 0 BONSUCESSO
Data: 02/10/1954
Local: Teixeira de Castro
Árbitro: Joseph Gulden
Renda: Cr$ 43.352,30
Obs.: O jogador Alemão foi para o gol no lugar do goleiro Ari, que se machucou.
BOTAFOGO: Joselias, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Arati, Bob e Juvenal; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Vinícius. Técnico: Gentil Cardoso.
BONSUCESSO: Ari (Alemão), Bibi e Gonçalo; Jophe, Valdemar e Paulo; Bené, Soca, Moacir Vinhas, Décio e Alemão. Técnico: Silvio Pirilo.

BOTAFOGO 2 x 4 BANGU
Data: 16/10/1954
Local: Maracanã
Árbitro: Paul Wissling
Renda: Cr$ 160.484,40
Gols: Carlyle (2) / Décio Esteves (2) e Miguel (2)
BOTAFOGO: Gilson, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Arati, Bob e Juvenal; Garrincha, Paulinho, Carlyle, Quarentinha e Vinícius. Técnico: Gentil Cardoso.
BANGU: Fernando, Édson e Tórbis; Gavillán, Zózimo e Jorge; Miguel, Lucas, Zizinho, Décio Esteves e Nívio. Técnico: Elba de Pádua Lima (Tim).

BOTAFOGO 1 x 1 AMÉRICA
Data: 23/10/1954
Local: Maracanã
Árbitro: Diego Di Léo
Renda: Cr$ 237.315,80
Gols: Dino da Costa / Wassil
BOTAFOGO: Gilson, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Bob, Danilo Alvim e Ruarinho; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Quarentinha. Técnico: Gentil Cardoso
AMÉRICA: Osni, Agnelo e Osmar; Rubens, Osvaldinho e Ivan; Wassil, Alarcón, Leônidas, João Carlos e Denone. Técnico: Martim Francisco.

BOTAFOGO 3 x 0 SÃO CRISTÓVÃO
Data: 28/10/1954
Local: General Severiano
Árbitro: Joseph Gulden
Renda: Cr$ 69.843,90
Gols: Dino da Costa (2) e Neyvaldo
BOTAFOGO: Joselias, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Bob, Danilo Alvim e Ruarinho; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Neyvaldo. Técnico: Gentil Cardoso.
SÃO CRISTÓVÃO: Hélio, Conceição e Ivan II; Zé Alves, Valdir e Décio; J. Alves, Nelsinho, Santo Cristo, Cosme e Carlinhos. Técnico: Osvaldo Costa.

BOTAFOGO 1 x 1 FLAMENGO
Data: 07/11/1954
Local: Maracanã
Árbitro: Joseph Gulden
Renda: Cr$ 902.039,20
Gols: Dino da Costa / Evaristo
BOTAFOGO: Joselias, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Bob, Danilo Alvim e Ruarinho; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Vinícius. Técnico: Gentil Cardoso.
FLAMENGO: Garcia, Tomires e Pavão; Jadir, Dequinha e Jordan; Joel, Rubens, Índio, Evaristo e Zagalo. Técnico: Fleitas Solich.

BOTAFOGO 5 x 0 MADUREIRA
Data: 14/11/1954
Local: General Severiano
Árbitro: Paul Wissling
Renda: Cr$ 58.302,60
Gols: Garrincha, Dino da Costa (3) e Paulinho
BOTAFOGO: Joselias, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Bob, Danilo Alvim e Ruarinho; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Vinícius. Técnico: Gentil Cardoso.
MADUREIRA: Danton, Deuslene e Darci; Ápel, Nilo e Mário; Milton, Zezinho, Machado, Edson e Bira. Técnico: Plácido Monsores.

BOTAFOGO 2 x 0 SÃO CRISTÓVÃO
Data: 20/11/1954
Local: Maracanã
Árbitro: Paul Wissling
Renda: Cr$ 78.143,90
Gols: Dino da Costa e Garrincha
BOTAFOGO: Joselias, Orlando Maia e Nilton Santos; Bob, Danilo Alvim e Ruarinho; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Vinícius. Técnico: Gentil Cardoso.
SÃO CRISTÓVÃO: Hélio, Manfredo e Jorge; Zé Alves, Severino e Décio; Arlindo, Santo Cristo, Cabo Frio, J. Alves e Carlinhos. Técnico: Osvaldo Costa.

BOTAFOGO 5 x 2 BONSUCESSO
Data: 27/11/1954
Local: General Severiano
Árbitro: Paul Wissling
Renda: Cr$ 78.181,80
Gols: Paulinho, Carlyle, Garrincha, Dino da Costa e Vinícius / Moreira e Nilo
BOTAFOGO: Joselias, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Bob, Danilo Alvim e Ruarinho; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Vinícius. Técnico: Gentil Cardoso.
BONSUCESSO: Ari, Tião e Alfredo; Jophe, Décio e Paulo; Hugo, Moreira, Nilo, Soca e Bené. Técnico: Silvio Pirilo.

BOTAFOGO 2 x 1 PORTUGUESA
Data: 05/12/1954
Local: Campos Sales
Árbitro: Antônio Viug
Renda: Cr$ 65.444,00
Gols: Dino da Costa e Carlyle / Miltinho
BOTAFOGO: Joselias, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Bob, Danilo Alvim e Ruarinho; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Vinícius. Técnico: Gentil Cardoso.
PORTUGUESA: Antoninho, Válter e Cicarino; Haroldo, Joe e Mário Faria; Guilherme, Miltinho, Baduca, Neca e Joel. Técnico: Durval Caldeira.

BOTAFOGO 2 x 3 FLAMENGO
Data: 12/12/1954
Local: Maracanã
Árbitro: Paul Wissling
Renda: Cr$ 1.040.143,90
Gols: Dino da Costa e Carlyle / Evaristo (2) e Zagalo
BOTAFOGO: Joselias, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Bob, Danilo Alvim e Ruarinho; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Vinícius. Técnico: Gentil Cardoso.
FLAMENGO: Garcia, Tomires e Pavão; Jadir, Dequinha e Jordan; Joel, Rubens, Índio, Evaristo e Zagalo. Técnico: Fleitas Solich.

BOTAFOGO 5 x 1 CANTO DO RIO
Data: 19/12/1954
Local: General Severiano
Árbitro: Eunápio de Queirós
Renda: Cr$ 19.491,20
Gols: Carlyle (3), Dino da Costa e Garrincha / Zequinha
BOTAFOGO: Joselias, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Bob, Danilo Alvim e Ruarinho; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Vinícius. Técnico: Gentil Cardoso.
CANTO DO RIO: Celso, Garcia e Carlos; Edésio, Moreno e Arnóbio; Robertinho, Almir, Zequinha, Bené e Jairo. Técnico: Alcebíades Bessa.

BOTAFOGO 2 x 4 VASCO DA GAMA
Data: 22/12/1954
Local: Maracanã
Árbitro: Alberto da Gama Malcher
Renda: Cr$ 673.278,60
Gols: Dino da Costa (2) / Nilton Santos (contra), Parodi, Pinga e Alvinho
BOTAFOGO: Joselias, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Bob, Danilo Alvim e Ruarinho; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Vinícius. Técnico: Gentil Cardoso.
VASCO DA GAMA: Victor Gonzalez, Mirim e Elias; Eli, Laerte e Dario; Sabará, Alvinho, Vavá, Pinga e Parodi. Técnico: Flávio Costa.

BOTAFOGO 3 x 3 BANGU
Data: 30/12/1954
Local: Maracanã
Árbitro: Paul Wissling
Renda: Cr$ 140.553,30
Gols: Garrincha, Paulinho e Carlyle / Mário (2) e Lucas
BOTAFOGO: Joselias, Orlando Maia e Nilton Santos; Bob, Danilo Alvim e Ruarinho; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Vinícius. Técnico: Gentil Cardoso.
BANGU: Cabeção, Joel e Tórbis; Haroldo, Zózimo e Jorge; Calazans, Lucas, Zizinho, Mário e Décio Esteves. Técnico: Elba de Pádua Lima (Tim).

BOTAFOGO 3 x 0 OLARIA
Data: 09/01/1955
Local: Rua Bariri
Árbitro: Amílcar Ferreira
Renda: Cr$ 35.972,60
Gols: Vinícius, Paulinho e Dino da Costa
BOTAFOGO: Gilson, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Orlando Maia, Danilo Alvim e Ruarinho; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Vinícius. Técnico: Zezé Moreira.
OLARIA: Aníbal, Osvaldo e Jorge; Moacir, Tião e Dodô; Canário, Washington, Gringo, Maxwell e Mário. Técnico: Délio Neves.

BOTAFOGO 1 x 3 FLUMINENSE
Data: 15/01/1955
Local: Maracanã
Árbitro: Amílcar Ferreira
Renda: Cr$ 333.763,50
Gols: Dino da Costa / Ambrois (2) e Pinheiro
BOTAFOGO: Gilson, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Orlando Maia, Bob e Danilo Alvim; Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Paulinho e Vinícius. Técnico: Zezé Moreira.
FLUMINENSE: Adalberto, Píndaro e Pinheiro; Jair Santana, Édson e Bigode; Telê, Ramiro, Ambrois, Robson e Escurinho. Técnico: Gradim.

BOTAFOGO 1 x 3 AMÉRICA
Data: 22/01/1955
Local: Maracanã
Árbitro: Alberto da Gama Malcher
Renda: Cr$ 172.551,00
Gols: Dino da Costa / Ivan, Alarcón e Leônidas
BOTAFOGO: Gilson, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Orlando Maia, Danilo e Juvenal; Garrincha, Paulinho, Carlyle, Dino da Costa e Vinícius. Técnico: Zezé Moreira.
AMÉRICA: Osni, Cacá e Édson; Ivan, Osvaldinho e Hélio; Paraguaio, Alarcón, Leônidas, João Carlos e Ferreira. Técnico: Martim Francisco.

BOTAFOGO 3 x 3 FLUMINENSE
Data: 27/01/1955
Local: Maracanã
Árbitro: Amílcar Ferreira
Renda: Cr$ 258.009,00
Gols: Vinícius (2) e Dino da Costa / Didi, Telê e Ambrois
BOTAFOGO: Gilson, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Orlando Maia, Danilo Alvim e Juvenal; Garrincha, Dino da Costa, Vinícius, Ruarinho e Ariosto. Técnico: Zezé Moreira
FLUMINENSE: Adalberto, Píndaro e Getúlio; Jair Santana, Édson e Bigode; Telê, Robson, Ambrois, Didi e Escurinho. Técnico: Gradim.

BOTAFOGO 1 x 1 VASCO DA GAMA
Data: 02/02/1955
Local: Maracanã
Árbitro: José Gomes Sobrinho
Renda: Cr$ 585.849,70
Gols: Vinícius / Parodi
BOTAFOGO: Gilson, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Orlando Maia, Bob e Danilo Alvim; Garrincha, Dino da Costa, Vinícius, Ruarinho e Ariosto. Técnico: Zezé Moreira.
VASCO DA GAMA: Victor González, Paulinho e Elias; Eli, Laerte e Dario; Sabará, Ademir Menezes, Vavá, Pinga e Parodi. Técnico: Flávio Costa.

BOTAFOGO 2 x 1 BANGU
Data: 05/02/1955
Local: Maracanã
Árbitro: Antônio Viug
Renda: Cr$ 153.210,20
Gols: Dino da Costa e Vinícius / Décio Esteves
BOTAFOGO: Gilson, Thomé e Nilton Santos; Orlando Maia, Bob e Danilo Alvim; Garrincha, Dino da Costa, Vinícius, Paulinho e Ariosto. Técnico: Zezé Moreira.
BANGU: Cabeção, Joel e Tórbis; Gavillán, Zózimo e Jorge; Mário, Lucas, Zizinho, Décio Esteves e Nívio. Técnico: Elba de Pádua Lima (Tim).

BOTAFOGO 0 x 2 FLAMENGO
Data: 09/02/1955
Local: Maracanã
Árbitro: Mário Gonçalves Vianna
Renda: Cr$ 871.030,30
Gols: Índio e Babá
BOTAFOGO: Gilson, Thomé e Nilton Santos; Orlando Maia, Bob e Danilo Alvim; Garrincha, Dino da Costa, Vinícius, Ruarinho e Ariosto. Técnico: Zezé Moreira.
FLAMENGO: Garcia, Tomires e Pavão; Servílio, Dequinha e Jadir; Paulinho, Evaristo, Índio, Benítez e Babá. Técnico: Fleitas Solich.

BOTAFOGO 2 x 4 AMÉRICA
Data: 13/02/1955
Local: Maracanã
Árbitro: Alberto da Gama Malcher
Renda: Cr$ 105.906,00
Gols: Vinícius e Garrincha / João Carlos (2), Leônidas e Paraguaio
BOTAFOGO: Gilson, Thomé e Nilton Santos; Orlando Maia, Bob e Danilo Alvim; Garrincha, Dino da Costa, Vinícius, Paulinho e Neyvaldo. Técnico: Zezé Moreira.
AMÉRICA: Osni, Cacá e Édson; Ivan, Osvaldinho e Alzemiro; Paraguaio, Alarcón, Leônidas, João Carlos e Ferreira. Técnico: Martim Francisco.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

MORRE O EX-TREINADOR JORGE VIEIRA


Menos de uma semana depois de completar 78 anos, faleceu no Rio de Janeiro (RJ), de infarto, nessa terça-feira, 24 de julho de 2012, o ex-treinador Jorge Vieira.
Nascido no dia 18 de julho de 1934, no Rio de Janeiro (RJ), Jorge Silva Vieira rodou o Brasil e o mundo trabalhando como treinador.
Em janeiro de 2007, exerceu a sua última função no futebol, de diretor técnico do América, clube do qual era torcedor.
Foi campeão carioca pelo América, em 1960, quando tinha apenas 26 anos.
Depois passou por Vasco da Gama (RJ), Vitória de Guimarães (Portugal), Vitória (BA), Campo Grande (RJ), América (MG) e Coritiba (PR).
Em 1977, dirigindo o Botafogo de Ribeirão Preto, Jorge Vieira levou o time do interior paulista a conquistar o título da Taça Cidade de São Paulo, que equivalia ao primeiro turno do Paulistão, comandando, entre outros jogadores, o craque Sócrates.
Depois do Botafogo de Ribeirão, Jorge Vieira dirigiu o Palmeiras em 1977 e 1978, levando o Palmeiras ao vice-campeonato brasileiro em 1978.
Em 1979, ele foi o técnico campeão paulista dirigindo o Corinthians. Depois, voltou a trabalhar no Palmeiras, Portuguesa de Desportos e Bangu.
Tornou-se novamente campeão paulista pelo Corinthians em 1983.
Ainda na década de 80, veio mais uma conquista surpreendente: classificou a seleção do Iraque à Copa do Mundo de 1986. No entanto, não teve a oportunidade de dirigir a equipe na competição.
Jorge Vieira voltou a dirigir o Corinthians entre 1986 e 1987, mas não conseguiu mais títulos no Parque São Jorge. Logo depois, aceitou o desafio de trabalhar no México, onde permaneceu até 1992, dirigindo times como o América (bicampeão mexicano nas temporadas 1987/1988 e 1988/1989) e Puebla.
Voltou ao Brasil, treinou o Coritiba e foi convidado novamente para deixar o Brasil, sendo treinador da seleção de El Salvador e de novo no México, quando dirigiu o Tigres Nuevo León nos anos de 1994 e 1995.
De volta ao Brasil, treinou o Fluminense e outra vez voltou ao México, para treinar o Toros Neza e o Delfines de Coatzacoalcos, nos anos de 2003 e 2004.
Como jogador, Jorge Vieira foi lateral do Madureira, encerrando cedo a carreira de jogador.
No Botafogo, Jorge Vieira teve três rápidas passagens: em 1979, 1982 e 1985.

terça-feira, 24 de julho de 2012

VERSÕES SOBRE O NOME “BOTAFOGO”


O nome dos dois clubes, o de Regatas de 1894 e o de Football de 1904 era um só: Botafogo. Tinham o nome do bairro onde foram fundados. Mas de onde vem o nome do bairro? Qual o significado de Botafogo?
Originalmente, era um instrumento militar, uma haste com um pavio, com o qual o artilheiro detonava os canhões. “Botar fogo” era, à época, sinônimo de detonar.
No século XVI, 1534, Portugal construiu o maior navio de guerra da Europa, o “São João Baptista”, de 1.000 toneladas. Foi considerado o mais poderoso navio do seu tempo, dispondo de 5 baterias equipadas com um total de 366 canhões de bronze, além de um esporão de proa, capaz de rasgar qualquer navio da sua época. A potência de fogo do «São João Baptista» era de tal ordem, que o galeão recebeu o apelido de “Botafogo”. Foi lançado à água no dia 24 de Agosto de 1534. Patrulhou o oceano Atlântico em missões de soberania.
João de Souza Pereira, fidalgo português, natural de Elvas, famoso oficial de artilharia, ganhou apelido de Botafogo, que incorporou a seu sobrenome. Vindo ao Brasil, no Rio de Janeiro, destacou-se em combates contra franceses e tamoios e, como recompensa, recebeu, da Coroa Portuguesa, terras que iam do Rio Carioca, hoje Praia do Flamengo, e, contornando o morro da Viúva, atingiam a praia adiante, que ficou conhecida como “do Botafogo”.


Sabe-se que os Botafogos tinham já armas anteriormente a 1571, visto que neste ano foi passada uma carta de armas de sucessão em que um dos quartéis as continham. Brasão: de prata, nove folhas de hera de verde, postas três, três a três. Timbre: uma torre de prata lavrada de negro, incendiada entre as ameias.
Outros Botafogos usam: de azul uma torre de prata, aberta e iluminada de negro, incendiada de sua cor por três fendas de cada lado. Timbre: a torre do escudo. É de admitir que esta variante das armas dos Botafogos provenha da passagem para o campo do escudo do timbre das primeiras armas.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

O BOTAFOGO ENTRE OS MAIORES CLUBES DE FUTEBOL DO SÉCULO XX


Em 11 de dezembro de 2000, a FIFA divulgou uma lista oficial na qual constava uma relação com os maiores clubes de futebol do Século XX.
A pesquisa foi feita exclusivamente por leitores da revista bimestral da FIFA, em dezembro de 2000.
Eis a lista dos principais clubes:
1º -
Real Madrid (Espanha) - 42,35%
2º -
Manchester United (Inglaterra) - 9,69%
3º -
Bayern Munich (Alemanha) - 9,18%
4º -
Barcelona (Espanha) - 5,61%
5º -
Santos (Brasil) - 5,60%
6º -
Ajax (Holanda) - 5,10%
7º -
Juventus (Itália) - 2,55%
8º -
Peñarol (Uruguai) - 2,04%
9º -
River Plate (Argentina), Flamengo (Brasil) e Milan (Itália) - 1,53%
12º -
Liverpool (Inglaterra), Botafogo (Brasil), Benfica (Portugal), Independiente (Argentina), Boca Juniors (Argentina), Internazionale (Itália) e Arsenal (Inglaterra), todos com 1,02%.
Outros clubes tiveram 6,63% dos votos.

domingo, 22 de julho de 2012

O ESCUDO DE TIME DE FUTEBOL MAIS BONITO DO MUNDO


No mês de fevereiro de 2009, o blog ESPORTE FINO realizou uma enquete entre jornalistas e designers gráficos para escolher o escudo de time de futebol mais bonito do mundo. E deu Botafogo em primeiro lugar!
A comissão julgadora foi formada pelos quatro responsáveis pelo blog (José Antônio Lima, Luiz Augusto Lima, Otávio Maia e Renato Borges) e mais Everaldo Marques (ESPN Brasil), Helena Jacob (jornalista, professora de design gráfico e mestra em semiótica), Maurício Noriega (SporTV), Mauro Beting (Rádio Bandeirantes, TV Band, BandSports) e Rodolfo Rodrigues (jornalista e historiador, autor do livro Escudos dos Times do Mundo Inteiro).
Para fazer a votação, a equipe do blog fez uma pré-seleção com ajuda do jornalista e historiador Rodolfo Rodrigues. Chegando à final 128 escudos de 45 países.
Cada uma destas pessoas escolheu seus 50 preferidos, pela ordem. O melhor ganhava 60 pontos, o segundo levava 49 e a partir daí um ponto a menos para o seguinte, até chegar ao 50º, que contabilizava 1 ponto. Neste post você tem a chance de conhecer os quatro primeiros colocados de cada um dos eleitores.

Everaldo Marques (ESPN)
1 – Steaua Bucaresti (Romênia)
2 – Celtic Glasgow (Escócia)
3 – Paris Saint-Germain (França)
4 – Liverpool (Inglaterra)

Helena Jacob (professora de design gráfico)
1 – Royal Zulu (África do Sul)
2 – Sydney FC (Austrália)
3 – Botafogo (Brasil)
4 – Juventus (Brasil)

José Antonio Lima (Esporte Fino)
1 – Botafogo (Brasil)
2 – Celtic Glasgow (Escócia)
3 – Bangu (Brasil)
4 – Cruzeiro (Brasil)

Luiz Augusto Lima (Esporte Fino)
1 – Sampdoria (Itália)
2 – Colo Colo (Chile)
3 – Paris Saint-Germain (França)
4 – Ajax (Holanda)

Maurício Noriega (SporTV)
1 – Napoli (Itália)
2 – Olympique de Marselha (França)
3 – Celta (Espanha)
4 – Juventus (Brasil)

Mauro Beting (Rádio e TV Bandeirantes)
1 – Botafogo (Brasil)
2 – América-RJ (Brasil)
3 – Internacional (Brasil)
4 – Internazionale (Itália)

Otávio Maia (Esporte Fino)
1 – Eintracht Frankfurt (ALE)
2 – Royal Zulu (AFS)
3 – Liverpool (ING)
4 – Sampdoria (Itália)

Rodolfo Rodrigues (Jornalista e historiador)
1 – Sydney FC (Austrália)
2 – Arsenal (Inglaterra)
3 – Corinthians (Brasil)
4 – Kashima Antlers (Japão)

Rodrigo Borges (Esporte Fino)
1 – Napoli (Itália)
2 – Coqui (Porto Rico)
3 – Botafogo (Brasil)
4 – Fortuna Dusseldorf (Alemanha)

Veja como ficou a lista com os vinte mais bonitos escudos de time de futebol do mundo:


1º - BOTAFOGO – Rio de Janeiro - Brasil
2º – Celtic – Glasgow - Escócia
3º – Juventus – São Paulo - Brasil
4 – América – Rio de Janeiro - Brasil

5º – Napoli – Itália
6º – Paris Saint-Germain – Paris - França
7º – Eintracht Frankfurt - Alemanha

8º – Royal Zulu – Durban – África do Sul
9º – Ajax – Amsterdam - Holanda
10º – Internazionale – Milão - Itália

11º – Waikato – Hamilton - Nova Zelândia
12º – Liverpool - Inglaterra
13º – Arsenal – Londres – Inglaterra
14º – Dynamos – Giyani - África do Sul
15º – Sydney F.C. - Austrália
16º – Sport Recife - Brasil
17º – Kashima Antlers - Japão
18º – Milan - Itália
19º – Middlesbrough - Inglaterra
20º – Gimnasia y Esgrima – La Plata – Argentina.

Sempre comento com familiares e amigos que o mais bonito no escudo do Botafogo é a sua simplicidade, tal qual a bandeira do Japão. Ambos, no meio de vários outros escudos, ou entre várias bandeiras, são percebidos rapidamente em qualquer situação.
O escudo do Botafogo é um dos poucos no mundo que não tem nenhuma referência textual ou alfabética ao nome do clube.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

JOGADORES QUE ATUARAM, QUANTIDADE DE JOGOS E GOLS MARCADOS NO CAMPEONATO CARIOCA DE 1960


JOGADORES
JOGOS
GOLS
AMARILDO
15
1
CACÁ
22

CHICÃO
21

CHINA
5
3
DIDI
17
9
ÉDISON
5

FRAZÃO
1

GARRINCHA
21
9
GENINHO
3
1
GENIVALDO
12
8
JORGE
7

MANGA
22

NEYVALDO
1
2
NILTON SANTOS
16

PAMPOLINI
22
2
PAULISTINHA
1

QUARENTINHA
21
24
ROSSI
4
4
ZAGALO
7
1
ZÉ MARIA
19