Total de visualizações de página

domingo, 30 de maio de 2010

O BOTAFOGO FAZENDO HISTÓRIA DA TAÇA SÃO PAULO DE FUTEBOL JUNIOR

A Taça São Paulo de Futebol Junior, em comemoração ao aniversário da cidade de São Paulo, é a maior competição para jogadores da categoria de juniors. Essa copa teve sua primeira edição no ano de 1969. Neste ano e no seguinte, o evento contou apenas com a participação de clubes paulistas: quatro em cada uma.
Apenas para sua terceira edição, realizada de 5 de dezembro de 1970 a 6 de março de 1971, equipes de outros Estados foram convidadas. Dezesseis equipes tomaram parte, sendo onze de São Paulo (Comercial-Ribeirão Preto, Corinthians, Guarani-Campinas, Juventus, Nacional, Nitro-Química, Palmeiras, Ponte Preta, Portuguesa de Desportos, Santos e São Paulo), uma de Minas Gerais (Atlético Mineiro), uma do Rio Grande do Sul (Grêmio), uma do Paraná (Coritiba) e duas do Rio de Janeiro (Botafogo e Fluminense).
Na Primeira Fase foram divididas em quatro grupos iguais. O Botafogo ficou no Grupo A, juntamente com Nacional, Palmeiras e Portuguesa de Desportos. Todos os jogos foram realizados no Centro Educacional e Esportivo de Pirituba.
No dia 12 de dezembro de 1970, um momento histórico: o Botafogo tornou-se o primeiro clube de outro Estado a entrar em campo pela Copa São Paulo de Futebol Junior. E o fez de forma avassaladora, goleando a Portuguesa de Desportos, por 6 x 0. Ainda venceu seus outros dois jogos: em 17 de janeiro, 3 x 1 Nacional e, em 30 de janeiro, 4 x 0 Palmeiras.
Nas quartas-de-final, no dia 6 de fevereiro, com um gol de Luizinho derrotou o Grêmio por 1 x 0.
A semifinal aconteceu em 27 de fevereiro, com uma nova vitória: 3 x 1 Ponte Preta, com três gols de Luizinho.
Veio a final com o Fluminense, do técnico Pinheiro, campeão carioca de juvenis em 1970, um jogão! No tempo normal, empate de 3 x 3 (os gols do Botafogo foram marcados por Tuca, Galdino e Luizinho). Na prorrogação, outro empate: 1 x 1 (gol de Edinho). Nos pênaltis, vitória do Fluminense, por 4 x 3. Mais uma vez, o melhor futebol não ficou com o título!
Sob o comando de Neca, o Botafogo jogou mais vezes com China, Calibé, Maurício, Pedro Paulo e Jorginho; Nandes e Edinho; Tuca, Luizinho, Brito e Galdino. Ainda jogaram Niltinho, Nei Dias, Vanderlei e Perácio. Curiosidade: esse Vanderlei é o hoje técnico Vanderlei Luxemburgo.
Tuca era irmão de Ferreti.

domingo, 23 de maio de 2010

GIGANTES DO FUTEBOL BRASILEIRO

Ficamos sabendo que está para ser lançada uma segunda edição de um dos livros mais procurados do futebol brasileiro, de autoria de João Máximo e Marcos de Castro: “Gigantes do Futebol Brasileiro”.
A sua primeira edição, um exemplar de 320 páginas, é de novembro de 1965, da Editora Lidador.
Nela você poderá conhecer a biografia dos 13 maiores craques do futebol brasileiro de todos os tempos, segundo os autores, pela ordem de capítulos: 1. Friedenreich, 2. Fausto, 3. Domingos da Guia, 4. Romeu, 5. Leônidas da Silva, 6. Tim, 7. Jair Rosa Pinto, 8. Zizinho, 9. Heleno de Freitas, 10. Danilo Alvim, 11. Nilton Santos, 12. Garrincha e 13. Pelé.
Dos treze grandes jogadores citados, seis já vestiram a camisa do Botafogo: Leônidas da Silva, Tim, Heleno de Freitas, Danilo Alvim, Nilton Santos e Garrincha.

FORTES EMOÇÕES NUM FINAL DE SEMANA

Com um gol ao apagar das luzes (aos 44 minutos do segundo tempo), o Botafogo obteve vitória difícil sobre o Olaria, no dia 13 de outubro de 1956, sábado, no campo da Rua Bariri.
O Botafogo apresentou maior volume de jogo e não fosse a pouca sorte que seus atacantes tiveram nos tiros a gol, a contagem teria sido mais folgada.
Garrincha abriu a contagem aos 39 minutos do primeiro tempo. No período final, aos 42 minutos, Santo Cristo empatou após forte chute. Didi fez o gol da vitória aos 44 minutos, aproveitando falha do goleiro Ernâni.
Os dois quadros formaram assim: Botafogo – Amaury, Rubens e Nilton Santos; Orlando Maia, Bob e Bauer; Garrincha, Didi, Paulinho, Mário e Neivaldo.
Olaria – Ernâni, Joe e Renato; Rico, Barbosa e Dodô; Esquerdinha, Bera, Santo Cristo, Russo e César.
O árbitro do encontro foi Eunápio de Queirós.

Minutos depois, a delegação botafoguense partiu do gramado da Rua Bariri diretamente para a gare da Central do Brasil, onde embarcou para a cidade de Barbacena, interior de Minas Gerais, 274 quilômetros distantes do Rio de Janeiro.
Foi convidado para o grande acontecimento esportivo da cidade, a inauguração do novo estádio do Olimpic, no domingo, 14 de outubro de 1956, que contou com a presença de inúmeras autoridades, dentre outras, do Governador Bias Fortes, do Presidente do CND, Deputado Geraldo Starling Soares, e do Presidente da Federação Mineira, Francisco Cortes.
O Botafogo enfrentou no jogo inaugural a equipe local do Olimpic, triunfando de maneira categórica pela contagem de 5 x 1, após encerrar o primeiro tempo com a vantagem de 3 x 0.
No time do Botafogo fez sua estréia o ponteiro paraguaio Cañete, que teve boa atuação.
Garrincha aos 12 minutos abriu a contagem para os cariocas. Paulinho aos 25 minutos assinalou o segundo gol e Ênio, contra, aos 40 minutos aumentou a vantagem dos alvinegros cariocas. Na fase final, Paulinho aos 7 minutos estabeleceu o quarto gol do Botafogo e Ari o quinto aos 30 minutos. O tento de honra dos locais foi de pênalti, batido por Nenem.
Eis a formação das duas equipes:
Botafogo: Amaury, Rubens, Orlando Maia e Nilton Santos; Bob e Bauer; Garrincha (Neivaldo) (Ari), Didi, Paulinho, Mário e Cañete.
Olimpic: Danton (Campeão), Borracha e Marino; Lucas, Ênio e Mexicano; Gutemberg, Viva, Nenem, Caroá e Branco.
A arbitragem foi de José Gomes Sobrinho, da Federação Metropolitana de Futebol.
Depois do jogo, toda a delegação do Botafogo visitou Heleno de Freitas na Casa de Saúde Santa Teresa. O antigo defensor do Botafogo ficou profundamente emocionado, chegando às lágrimas, com a lembrança dos atuais integrantes de seu clube, quando reviu velhos amigos, entre os quais Geninho, que foi seu companheiro de time.
Como sabemos, o craque também ficou conhecido pelos acessos de raiva em campo contra adversários, árbitros e mesmo companheiros de time. O que não se sabia na época era que aquele comportamento era um reflexo da sífilis, doença que lhe tirava a razão e que o fez ser internado em um sanatório de Barbacena. Cidade em que faleceu em 8 de novembro de 1959. Com apenas 39 anos.

sábado, 22 de maio de 2010

JOGOS INESQUECÍVEIS (2)

EM UMA SEMANA, DUAS REAÇÕES ESPETACULARES

Na última semana do mês de março de 1958 aconteceram duas reações que entraram para a história do Botafogo.

A primeira delas aconteceu no dia 23 de março de 1958, no Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).
Desenvolvendo um jogo magnífico, o Atlético Mineiro venceu o primeiro tempo por 4 x 0. Marcaram os gols: Tomazinho, aos 6; e Alvinho aos 34, 37 e 38.
Tão boa era sua atuação que todos esperavam por um aumento da goleada na fase final.
Mas o Botafogo retornou ao campo com maior disposição e conseguiu uma reviravolta impressionante no segundo tempo, marcando cinco tentos e alcançando uma vitória histórica.
Começou com Édson, aos 11, Garrincha, aos 27, Paulinho Valentim, aos 30, e duas vezes com Quarentinha, aos 36 e 42 minutos do segundo tempo.
O Atlético Mineiro comemorava seu cinqüentenário e este foi o presente dado pelo Botafogo!
As duas equipes jogaram assim:
BOTAFOGO: Adalberto, Beto e Thomé; Servílio, Pampolini e Nilton Santos; Garrincha (Neivaldo), Didi, Paulinho, Édson (Rossi) e Quarentinha. Técnico: João Saldanha.
ATLÉTICO MINEIRO: Mussula, Anísio e Benito; Hilton Chaves, Jair e Nilsinho; Márcio, Tomazinho, Paulinho, Alvinho e Dino. Técnico: Newton Anet.
O árbitro do jogo foi Gualter Gama de Castro.

Precisamente uma semana depois, aconteceu a segunda reação espetacular do Botafogo: no dia 30 de março de 1958, no Estádio Augusto Bauer, em Brusque (SC). O adversário foi o Carlos Renaux local, que era o vice-campeão estadual naquele ano.
O primeiro tempo terminou com o placar de 4 x 1 para o Carlos Renaux. Agenor, aos 18 minutos, fez 1 x 0. Julinho aumentou para 2 x 0 aos 21. Quarentinha, aos 25, diminuiu para o Botafogo. Teixeirinha aumentou para 3 x 1 aos 28. Servílio, contra, aumentou o prejuízo carioca: 4 x 1. No tempo final, aos treze minutos, os locais marcaram o quinto gol, através de Petruski. Aí, aconteceu o que ninguém esperava, a reação espetacular do Botafogo.
Édson, aos 20, Garrincha, aos 22, Neivaldo, aos 35 e Didi, aos 41 marcaram os tentos alvinegros, empatando o jogo em 5 x 5.
Assim jogaram as equipes:
CARLOS RENAUX: Mossimann, Baião e Ivo; Tesoura, Gordinho e Esnel; Julinho, Petruski, Júlio Camargo (Vicente), Teixeirinha e Agenor.
BOTAFOGO: Adalberto, Beto (Ronald), Domício e Nilton Santos (Ademar); Servílio e Pampolini; Garrincha, Didi, Paulinho Valentim (Rossi), Édson e Quarentinha (Neivaldo).
Foi árbitro da partida o carioca Antônio Viug.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

O BOTAFOGO NO CAMPEONATO CARIOCA DE 1949

1º TURNO

03.07.1949

BOTAFOGO 4 x 0 OLARIA
Local: General Severiano
Juiz: Bill Martin
Renda: Cr$ 39.472,00
Gols: Braguinha (2), Otávio e Pirilo.
BOTAFOGO: Osvaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Otávio e Braguinha.
OLARIA: Zezinho, Osvaldo e Haroldo; Olavo, Moacir e Ananias; Adelmo, J. Alves, Maxwell, Mical e Esquerdinha.

17.07.1949

BOTAFOGO 4 x 0 BONSUCESSO
Local: General Severiano
Juiz: Bill Martin
Renda: Cr$ 45.481,00
Gols: César (2) e Braguinha (2).
BOTAFOGO: Ary, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, César, Otávio e Braguinha.
BONSUCESSO: Alvarez, Borracha e Amauri; Cambuí, Vitor e Gato; Cidinho, Roberto, Wilson, Cola e Toto.

24.07.1949

AMÉRICA 0 x 4 BOTAFOGO
Local: Laranjeiras
Juiz: Gillis McPherson Dundas
Renda: Cr$ 163.052,00
Gols: Otávio (2), César e Braguinha.
AMÉRICA: Osni, Ivan e Mundinho; Hilton, Osvaldinho e Gamba; Heitor, Maneco, Dimas, Ranulfo e Jorginho.
BOTAFOGO: Osvaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, César, Otávio e Braguinha.

07.08.1949

CANTO DO RIO 1 x 3 BOTAFOGO
Local: Caio Martins
Juiz: Stanley Roberts
Renda: Cr$ Cr$ 60.721,00
Gols: Raimundo; Pirilo (2) e Octávio.
CANTO DO RIO: Itim, Alcides e Manoelzinho; Berascochéa, Edésio e Serafim; Valdemar, Carango, Raimundo, Jorge e Hélio.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Otávio e Braguinha.

14.08.1949

BOTAFOGO 1 x 0 BANGU
Local: General Severiano
Juiz: Frederick James Lowe
Renda: Cr$ 124.131,00
Gol: Octávio.
BOTAFOGO: Osvaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
BANGU: Mão de Onça, Rafanelli e Irani; Gualter, Mirim e Pinguela; Menezes, Djalma, Moacir Bueno, Ismael e Cardoso. Técnico: Aymoré Moreira.

21.08.1949

MADUREIRA 1 x 1 BOTAFOGO
Local: Conselheiro Galvão
Juiz: Bill Martin
Renda: Cr$ 90.860,00
Gols: Rubinho; Ávila.
MADUREIRA: Milton, Weber e Godofredo; Arati, Hermínio e Mineiro; Betinho, Rubinho, Benedito, Jorge e Panzarielo.
BOTAFOGO: Osvaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Demósthenes.

28.08.1949

BOTAFOGO 0 x 1 FLUMINENSE
Local: General Severiano
Juiz: Alberto da Gama Malcher
Renda: Cr$ Cr$ 285.760,00
Gol: Santo Cristo.
BOTAFOGO: Osvaldo Baliza, Gerson dos Santos e Jair; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Souza, César, Hamilton e Jaime.
FLUMINENSE: Castilho, Píndaro e Pinheiro; Índio, Pé de Valsa e Bigode; Santo Cristo, Didi, Carlyle, Orlando e Rodrigues.

04.09.1949

FLAMENGO 1 x 2 BOTAFOGO
Local: Gávea
Juiz: Alberto da Gama Malcher
Renda: Cr$ 297.956,00
Gols: Lero; César e Octávio.
FLAMENGO: Garcia, Juvenal e Job; Biguá, Bria e Valter; Jorge de Castro, Zizinho, Gringo, Lero e Barros.
BOTAFOGO: Osvaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Souza, César, Octávio e Jaime.

11.09.1949

SÃO CRISTÓVÃO 2 x 2 BOTAFOGO
Local: Figueira de Melo
Juiz: Bill Martin
Renda: Cr$ 92.910,00
Gols: Torbis e Lino; Souza e Octávio.
SÃO CRISTÓVÃO: Marujo, Doutor e Torbis; Olavo, Geraldo e Arnaldo; Lino II, Wilton, Buarque, Rato e Magalhães.
BOTAFOGO: Osvaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Richard; Paraguaio, Souza, César, Octávio e Jaime.

18.09.1949

BOTAFOGO 2 x 2 VASCO DA GAMA
Local: General Severiano
Juiz: Mário Vianna
Renda: Cr$ 321.430,00
Gols: Jaime (2); Ademir Menezes e Gerson dos Santos (contra).
BOTAFOGO: Osvaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, César, Jaime e Reinaldo.
VASCO DA GAMA: Barbosa, Augusto e Laerte; Eli, Danilo e Alfredo; Nestor, Maneca, Ademir Menezes, Ipojucan e Mário.

2º TURNO

25.09.1949

OLARIA 3 x 1 BOTAFOGO
Local: Rua Bariri
Juiz: Frederich James Lowe
Renda: Cr$ 68.776,00
Gols: Sorriso (2) e Jair; Paraguaio.
OLARIA: Zezinho, Osvaldo e Haroldo; Olavo, Moacir e Ananias; Jarbas, Alcino, Sorriso, Jair e Esquerdinha.
BOTAFOGO: Osvaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, César, Jaime e Braguinha.

09.10.1949

BONSUCESSO 0 x 2 BOTAFOGO
Local: Teixeira de Castro
Juiz: Mário Vianna
Renda: Cr$ 31.216,00
Gols: Braguinha e Baiano.
BONSUCESSO: Alvarez, Borracha e Amauri; Cambuí, Agostinho e Gato; Daniel, Cidinho, Wilson, Osvaldinho e Toto.
BOTAFOGO: Ary, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Richard; Paraguaio, Geninho, Baiano, Jaime e Braguinha.

16.10.1949

BOTAFOGO 3 x 0 AMÉRICA
Local: General Severiano
Juiz: Gillis McPherson Dundas
Renda: Cr$ 57.616,00
Gols: Jaime, Braguinha e Joel (contra).
BOTAFOGO: Ary, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Zezinho, Geninho, Hamilton, Jaime e Braguinha.
AMÉRICA: Vicente, Ivan e Joel; Hilton Viana, Geraldinho e Gamba; Heitor, Maneco, Dimas, Carlinhos e Jorginho.

30.10.1949

BOTAFOGO 7 x 1 CANTO DO RIO
Local: General Severiano
Juiz: Frederick James Lowe
Renda: Cr$ 22.139,00
Gols: Pirilo (2), Zezinho (2), Geninho, Octávio e Braguinha; Hélio.
BOTAFOGO: Ary, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Zezinho, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
CANTO DO RIO: Pernambuco, Alcides e Manoelzinho; Carango, Edésio e Canelinha; Geraldino, Valdemar, Raimundo, Ariosto e Hélio.

06.11.1949

BANGU 1 x 1 BOTAFOGO
Local: Moça Bonita
Juiz: Alberto da Gama Malcher
Renda: Cr$
Gols: Joel; Braguinha.
BANGU: Luiz Borracha, Sula e Rafanelli; Gualter, Elói e Pinguela; Djalma, Moacir Bueno, Joel, Moacir De Paula e Zezinho. Técnico: Aymoré Moreira.
BOTAFOGO: Ary, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Zezinho, Geninho, Jaime, Octávio e Braguinha.

13.11.1949

BOTAFOGO 5 x 2 MADUREIRA
Local: General Severiano
Juiz:
Renda: Cr$
Gols: Geninho (2), Pirilo (2) e Braguinha
BOTAFOGO: Ary, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
MADUREIRA: Milton, Weber e Godofredo; Arati, Hermínio e Mineiro; Osvaldinho, Damasceno, Moacir, Benedito e Tampinha.

20.11.1949

FLUMINENSE 2 x 1 BOTAFOGO
Local: Laranjeiras
Juiz: Stanley Roberts
Renda: Cr$ 137.864,00
Gols: Santo Cristo e Pé de Valsa; Octávio.
FLUMINENSE: Castilho, Píndaro e Pinheiro; Índio, Pé de Valsa e Mário; Santo Cristo, Didi, Carlyle, Orlando e Rodrigues.
BOTAFOGO: Ary, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.

27.11.1949

BOTAFOGO 1 x 2 FLAMENGO
Local: General Severiano
Juiz: Gillis McPherson Dundas
Renda: Cr$ 160.362,00
Gols: Zezinho; Durval e Bodinho.
BOTAFOGO: Salvador, Gerson dos Santos e Marinho; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Zezinho, Octávio e Braguinha.
FLAMENGO: Garcia, Juvenal e Nilton; Biguá, Bria e Valter; Bodinho, Zizinho, Durval, Beto e Esquerdinha.

04.12.1949

BOTAFOGO 2 x 0 SÃO CRISTÓVÃO
Local: General Severiano
Juiz: Mário Vianna
Renda: Cr$ 15.344,00
Gols: Octávio (2)
BOTAFOGO: Ary, Gerson dos Santos e Marinho; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Octávio, Jaime e Braguinha.
SÃO CRISTÓVÃO: Marujo, Valdir e Torbis; Rato, Geraldo e Olavo; Hilton, Mendonça, Alcidésio, Nilo e Paulinho.

11.12.1949

VASCO DA GAMA 2 x 1 BOTAFOGO
Local: São Januário
Juiz: Mário Vianna
Renda: Cr$ Cr$ 255.451,00
Gols: Ademir Menezes (2); Zezinho.
VASCO DA GAMA: Barbosa, Augusto e Wilson; Eli, Danilo e Alfredo; Ademir Menezes, Maneca, Heleno de Freitas, Ipojucan e Chico.
BOTAFOGO: Ary, Gerson dos Santos e Marinho; Rubinho, Ávila e Juvenal; Zezinho, Geninho, Octávio, Jaime e Braguinha.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

A EXCURSÃO DO BOTAFOGO AO NORTE DO PAÍS EM 1927

A 17 de novembro de 1927, a bordo do paquete “Pedro I”, a delegação do Botafogo, do Rio de Janeiro, seguiu para Belém (PA), assim constituída: Chefe – Flávio Ramos; Secretário – Alarico Maciel; Treinador – Ramon Platero; Adido – Sylvio Bernardes e os jogadores Neiva, Baby, Clóvis, Alemão, Otacílio, Orlando, Nestor, Alberto, Aguiar, Pamplona, Rogério, Macarroni, Ariza, Neco, Nilo, Aché, Claudionor e Alkindar (tendo Póvoa seguido depois). Baby e Nilo seguiram com os joelhos machucados. Por outro lado, o Botafogo apresentou três novas aquisições: Póvoa e Alberto, campeões de 1926 pelo São Cristóvão, e o ótimo centro-médio paulista Aguiar, que defendera o Paulistano e que ficou conhecido como o homem dos “passes de veludo”.
Uma semana depois, no dia 24 de novembro de 1927, a delegação do Botafogo chegou a capital paraense, hospedando-se no Grande Hotel, considerada hóspede oficial pelo Governador Dyonisio Bentes.
No domingo, 27 de novembro de 1927, o Botafogo fez a sua estréia em terras paraenses, enfrentando o Clube do Remo, no campo deste. Formando com Neiva, Alemão e Otacílio; Alberto, Aguiar e Rogério; Ariza, Neco (capitão), Alkindar, Aché e Claudionor, o Botafogo venceu por 5 x 1, com dois gols de Ariza e um de Neco, Alkindar e Claudionor, contra um de Santana. O Clube do Remo alinhou Francelísio, Propércio e Evandro (capitão); Lindolfo, Vivi e Pamplona; Formiga, Secundino, Cordeiro, Marinheiro e Santana.
Na quarta-feira, 1º de dezembro, novamente exibiu-se o Botafogo, desta vez contra um combinado paraense formado por jogadores do Clube do Remo, Paysandu e União Esportiva. Com algumas alterações no time que participou do jogo anterior (na zaga o jovem Orlando Pessoa formou a parelha com Otacílio, Pamplona entrou no lugar de Alemão e Nilo reapareceu no lugar de Alkindar), o Botafogo voltou a vencer, por 3 x 1, gols de Ariza, Aché e Nilo, descontando novamente Santana para os paraenses, que formaram com a seguinte equipe: Seabra, Evandro e Abílio; Pamplona, Marituba e Macambira; Formiga, Vadico, Marinheiro, Santana e Arthur Moraes.
Na terceira apresentação, contra o Paysandu, o alvinegro carioca aplicou a goleada de 6 x 2. Este jogo foi realizado no domingo, 4 de dezembro de 1927, e o Botafogo formou com Neiva, Póvoa e Otacílio; Alberto, Aguiar e Pamplona; Ariza, Alkindar, Nilo, Aché e Claudionor. Nilo marcou quatro gols e Alkindar e Aché completaram a contagem. Os gols dos paraenses foram marcados por Cobrador e Oscar.
Na quinta-feira, 8 de dezembro de 1927, o Botafogo enfrentou o União Esportiva, vencendo-o por 3 x 1, tendo jogado Rogério no lugar de Alberto e Neco no de Alkindar. Nilo, duas vezes, e Neco marcaram os gols do Botafogo.
Domingo, 11 de dezembro de 1927, outra vez contra um combinado paraense (desta vez Remo e Paysandu), o Botafogo venceu por 2 x 0, com dois gols de Nilo. As equipes formaram assim: Botafogo – Neiva, Póvoa e Otacílio; Alberto, Aguiar e Pamplona; Ariza, Neco, Nilo, Aché e Claudionor. Combinado Paraense – Seabra, Oscar e Evandro; Bandeira, Marituba e Epifânio; Formiga, Vadico, Pamplona, Santana e Arthur Moraes.
Na quinta-feira, 15 de dezembro de 1927, o Botafogo realizou o seu último jogo da temporada em Belém, tornando a vencer o Clube do Remo, por 2 x 1, com gols de Claudionor e Nilo. O Botafogo atuou com Neiva, Orlando e Otacílio; Macarroni, Aguiar e Roberto (Alberto); Ariza, Alkindar, Nilo, Aché e Claudionor.
A 17 de dezembro de 1927, a bordo do “Comandante Ripper”, a delegação botafoguense deixou Belém e partiu para São Luís, Maranhão.
No dia seguinte, abateu o selecionado local por 6 x 0, com dois gols de Rogério (que pela primeira vez se apresentou como centro-avante), Ariza, Alkindar, Aché e Claudionor. A equipe foi esta: Neiva, Alemão e Otacílio; Alberto, Aguiar e Pamplona; Ariza, Alkindar, Rogério, Aché e Claudionor.
Em seguida, para uma série de quatro amistosos, o Botafogo desembarcou em Recife, onde encontrou a mesma torcida exaltada de 1919. Da velha excursão, só dois elementos figuravam na delegação: Nestor e Neco.
O Botafogo estreou em pleno Natal (25 de dezembro de 1927), no campo da Avenida Malaquias, vencendo o Torre, por 4 x 0, com dois gols de Claudionor, um de Neco e outro de Nilo. Formou com Neiva, Alemão e Otacílio; Alberto, Aguiar e Pamplona; Ariza, Neco, Nilo, Aché e Claudionor. Defenderam o Torre: Valença, Juquinha e Hermínio; Dantas (Hermógenes), Pedro e Faustino; Osvaldo, Piaba, Péricles, Chiquito e Hermes.
A 29 de dezembro de 1927, com um gol de Aché, o Botafogo venceu o Santa Cruz por 1 x 0, tendo jogado Póvoa no lugar de Alemão e Nilo entrado no segundo tempo no lugar de Alkindar. O Santa Cruz formou com Valença, Bebé e Mário Rosas; Julinho, Gama e Pedro; Aloísio, Sebastião (Agnello), Zé Tasso, Victor (Costinha) e Perrucci.
O terceiro jogo em Recife aconteceu já no ano de 1928, mais precisamente no dia 1º de janeiro: uma goleada de 5 x 1 sobre o Sport. Nilo marcou três gols, Aché e Neco, um cada. O quadro foi o mesmo que enfrentou o Torre e o Sport atuou com Mário Franco, Joãozinho e Chico Altino; Aureliano, Alarcon e Masinho; Witham (Dubeux), Limão, Péricles, Ary Pires e Aluízio.
No último jogo, no dia 6 de janeiro de 1928, o Botafogo vencia o América, por 1 x 0, gol de Nilo, quando, ao faltarem quatro minutos para o encerramento do jogo, o árbitro marcou um pênalti de Aguiar. Não se conformando com tal decisão, os alvinegros deixaram o campo, sendo o pênalti batido por George, contra o gol vazio, para registrar o placar de 1 x 1. Formou o Botafogo com Neiva, Alemão e Otacílio; Alberto, Aguiar e Pamplona; Ariza, Neco, Nilo, Aché e Claudionor e o América com Ilo Just, George e Gandra; Deoclécio, Gama e Casado; Alarcon, Ralph, Zé Tasso, Eric e Siza.
A 12 de janeiro, no paquete “Pará”, o Botafogo regressou ao Rio de Janeiro.
O Botafogo obteve dez vitórias e um empate, tendo marcado 38 gols e sofrido oito, obtendo um saldo de trinta gols. Utilizou 16 jogadores: Neiva, Otacílio, Aguiar, Ariza, Aché e Claudionor, nos 11 jogos; Alberto, 10; Nilo, 9; Neco e Pamplona, 8; Alkindar, 6; Alemão e Rogério, 5; Póvoa, 4; Orlando e Macarroni, dois.
Foram seus artilheiros: Nilo, 15 vezes; Aché e Claudionor, 5; Ariza e Neco, 4; Alkindar, 3 e Rogério, 2.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

O BOTAFOGO NO ANO DE 1948


Na temporada de 1948, o Botafogo disputou um total de 40 jogos. Foram 26 vitórias (65%), 8 empates (20%) e 6 derrotas (15%). Assinalou 107 gols e sofreu 59.
Desses 40 jogos, vinte foram válidos pelo Campeonato Carioca (conquistado com apenas uma derrota); dez pelo Torneio Municipal, seis amistosos interestaduais e quatro amistosos internacionais.


Dentre os amistosos internacionais, três foram pela pequena excursão à Bolívia, entre 4 e 18 de abril, com duas vitórias e um empate. Além deles, teve a grande vitória sobre o Southampton, da Inglaterra, por 3 x 1, em 20 de maio.



O artilheiro da temporada foi Octávio, com 35 gols, seguido de longe por Pirilo, que marcou 15. Os demais marcadores foram: Paraguaio (12), Oswaldinho (9), Braguinha (7), Geninho (6), Demósthenes (5), Heleno de Freitas e Zezinho (4), Juvenal (3), Ávila e Nerino (2) e Nilton Santos, Marinho e Negrinhão (contra), um gol cada.

Oswaldo Baliza foi o goleiro do Botafogo em 38 oportunidades. Nas duas vezes que ele não atuou, foi substituído por Ary e Matarazzo.

Zezé Moreira foi o treinador da equipe nas quarenta ocasiões.

AS FICHAS TÉCNICAS DE TODOS OS JOGOS DO BOTAFOGO NO CAMPEONATO CARIOCA DE 1948



11.07.1948

BOTAFOGO 0 x 4 SÃO CRISTÓVÃO
Local: General Severiano
Juiz: Alberto da Gama Malcher
Renda: Cr$ 20.906,50
Gols: Mical, Magalhães, Wilton e Souza.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Sarno; Marinho, Nilton Barbosa e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Zezinho, Octávio e Braguinha.
SÃO CRISTÓVÃO: Joel, Mundinho e Lino; Richard, Geraldo e Souza; Wilton, Paulino, Mical, João Menta e Magalhães.

18.07.1948

CANTO DO RIO 2 x 4 BOTAFOGO
Local: Caio Martins
Juiz: Arthur Ford
Renda: Cr$ 28.108,00
Gols: Carango (2); Octávio (3) e Pirilo.
CANTO DO RIO: Odair, Borracha e Manoelzinho; Vicentini, Edinho e Zarci; Heitor, Valdemar, Geraldino, Carango e Raimundo.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.

25.07.1948

BOTAFOGO 6 x 0 MADUREIRA
Local: General Severiano
Juiz: Frederick James Lowe
Renda: Cr$ 24.554,00
Gols: Octávio (3), Pirilo (2) e Paraguaio.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
MADUREIRA: Nenem, Danilo e Godofredo; Arati, Hermínio e Mineiro; Lupércio, Didi, Bidon, Eunápio e Betinho.

01.08.1948

FLUMINENSE 2 x 5 BOTAFOGO
Local: Laranjeiras
Juiz: Arthur Ford
Renda: Cr$ 120.214,00
Gols: 109 e Orlando; Pirilo (3), Octávio e Braguinha.
FLUMINENSE: Castilho, Pé de Valsa e Hélvio; Índio, Mirim e Bigode; 109, Simões, Careca, Orlando e Rodrigues.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
Obs.: Oswaldo Baliza defendeu dois pênaltis: um cobrado por Rodrigues e o outro por Careca.

15.08.1948

BOTAFOGO 3 x 0 BONSUCESSO
Local: General Severiano
Juiz: Devine
Renda: Cr$ 19.954,00
Gols: Octávio (2) e Geninho.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
BONSUCESSO: Alvarez, Nanati e Miguel; Fausto, Vítor e Gato; Zé Luís, Roberto, João Pinto, Cola e Tampinha.

22.08.1948

BANGU 0 x 0 BOTAFOGO
Local: Moça Bonita
Juiz: Arthur Ford
Renda: Cr$ 67.190,00
BANGU: Orlando, Domingos da Guia e Nogueira; Guálter, Irani e Pinguela; Sonô, Amaral, Moacir Bueno, Moacir de Paula e Zezinho. Técnico: Ayrton Moreira.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.

29.08.1948

BOTAFOGO 6 x 1 OLARIA
Local: General Severiano
Juiz: Devine
Renda: Cr$ 32.142,00
Gols: Paraguaio (3), Pirilo, Octávio e Juvenal; Esquerdinha.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
OLARIA: Délio, Leleco e Lamparina; Valter, Cláudio e Ananias; Alcino, Cidinho, Baiano, Limoeiro e Esquerdinha.

05.09.1948

FLAMENGO 1 x 2 BOTAFOGO
Local: Gávea
Juiz: Devine
Renda: Cr$ 188.794,00
Gols: Zizinho; Pirilo e Geninho.
FLAMENGO: Luís Borracha, Nilton e Norival; Vaguinho, Bria e Jaime; Luisinho, Zizinho, Gringo, Jair Rosa Pinto e Durval.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.

19.09.1948

BOTAFOGO 1 x 0 AMÉRICA
Local: General Severiano
Juiz: Arthur Ford
Renda: Cr$ 53.926,00
Gol: Nilton Santos.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Marinho e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
AMÉRICA: Vicente, Alcides e Joel; Hilton, Spínola e Amaro; Alcides II, Maneco, Maxwell, César e Esquerdinha.

26.09.1948

VASCO DA GAMA 1 x 2 BOTAFOGO
Local: São Januário
Juiz: Mário Vianna
Renda: Cr$ 262.324,00
Gols: Chico; Octávio (2)
VASCO DA GAMA: Barbosa, Augusto e Wilson; Eli, Danilo e Alfredo; Djalma, Maneca, Friaça, Tuta e Chico.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.

03.10.1948

SÃO CRISTÓVÃO 1 x 3 BOTAFOGO
Local: Figueira de Melo
Juiz: Cyril John Barrick
Renda: Cr$ 75.774,00
Gols: Souza; Paraguaio (2) e Juvenal.
SÃO CRISTÓVÃO: Joel, Mundinho e Jair; Richard, Geraldo e Souza; Edgar, Paulinho, João Menta, Jarbas e Magalhães.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Sarno, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.

10.10.1948

BOTAFOGO 4 x 1 CANTO DO RIO
Local: General Severiano
Juiz: Alberto da Gama Malcher
Renda: Cr$ 46.268,00
Gols: Octávio (2), Braguinha e Pirilo; Carango.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Sarno, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
CANTO DO RIO: Odair, Borracha e Manoelzinho; Vicentini, Edésio e Canelinha; Heitor, Carango, Geraldino, Raimundo e Hélio.

17.10.1948

MADUREIRA 0 x 2 BOTAFOGO
Local: Conselheiro Galvão
Juiz: Frederick James Lowe
Renda: Cr$ 97.756,00
Gols: Braguinha e Octávio.
MADUREIRA: Milton, Danilo e Godofredo; Arati, Hermínio e Mineiro; Lupércio, Didi, Benedito, Jorge e Adir.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.

24.10.1948

BOTAFOGO 2 x 2 FLUMINENSE
Local: General Severiano
Juiz: Devine
Renda: Cr$ 205.972,00
Gols: Paraguaio (2); Rodrigues e Santo Cristo.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
FLUMINENSE: Castilho, Oliveira e Hélvio; Índio, Mirim e Bigode; 109, Simões, Santo Cristo, Orlando Pingo de Ouro e Rodrigues.

07.11.1948

BONSUCESSO 1 x 2 BOTAFOGO
Local: Teixeira de Castro
Juiz: Cyril John Barrick
Renda: Cr$ 88.610,00
Gols: João Pinto; Pirilo e Paraguaio.
BONSUCESSO: Alvarez, Nanati e Miguel; Vítor, Agostinho e Gato; Marçal, Enguiça, João Pinto, Mariano e Tampinha.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.

14.11.1948

BOTAFOGO 3 x 0 BANGU
Local: General Severiano
Juiz: Cyril John Barrick
Renda: Cr$ 59.804,00
Gols: Paraguaio, Octávio e Pirilo.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
BANGU: Princesa, Domingos da Guia e Nogueira; Madeira, Irani e Pinguela; Amaral, Moacir Bueno, Joel, De Paula e Zezinho.

21.11.1948

OLARIA 3 x 4 BOTAFOGO
Local: Rua Bariri
Juiz: Devine
Renda: Cr$ 56.784,00
Gols: Alcino, J. Alves e Valter; Octávio (2), Pirilo e Braguinha.
OLARIA: Gildo, Oswaldo e Leleco; Valter, Olavo e Ananias; Alcino, J. Alves, Baiano, Limoeiro e Esquerdinha.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.

28.11.1948

BOTAFOGO 5 x 3 FLAMENGO
Local: General Severiano
Juiz: Devine
Renda: Cr$ 207.964,00
Gols: Ávila, Octávio, Braguinha, Pirilo e Paraguaio; Gringo (2) e Durval.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
FLAMENGO: Luís Borracha, Nilton e Norival; Biguá, Bria e Jaime; Luisinho, Zizinho, Gringo, Jair Rosa Pinto e Durval.

05.12.1948

AMÉRICA 1 x 2 BOTAFOGO
Local: São Januário
Juiz: Frederick James Lowe
Renda: Cr$ 202.148,00
Gols: Lima; Braguinha e Octávio.
AMÉRICA: Osni, Joel e J. Alves; Hilton, Spínola e Gamba; Nivaldino, Ranulfo, César, Lima e Esquerdinha.
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.
12.12.1948

BOTAFOGO 3 x 1 VASCO DA GAMA
Local: General Severiano
Renda: Cr$ 570.000,00
Juiz: Mário Vianna
Gols: Paraguaio, Braguinha e Octávio; Ávila (contra).
BOTAFOGO: Oswaldo Baliza, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha. Técnico: Zezé Moreira.
VASCO DA GAMA: Barbosa, Augusto e Wilson; Eli, Danilo e Jorge; Friaça, Ademir Menezes, Dimas, Ipojucan e Chico. Técnico: Flávio Costa.