Total de visualizações de página

quinta-feira, 14 de abril de 2011

O BOTAFOGO NO CAMPEONATO CARIOCA DE 1920: Súmulas


BOTAFOGO 5 x 0 PALMEIRAS
Data: 18/04/1920
Local: General Severiano, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Petiot (2), Arlindo, Menezes e Neco
BOTAFOGO: Santa Maria, Monti e Sylla; Franco, Alfredindo e Police; Leite de Castro, Petiot, Arlindo, Nilo e Neco.
PALMEIRAS: Luiz, Eduardo e Dídimo; Raul, Paulistano e Octacílio; Júlio, Nonô, Nicanor, Guilherme e Orlando.

BOTAFOGO 2 x 0 VILA ISABEL
Data: 02/05/1920
Local: Jardim Zoológico, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Plínio Ribeiro Castro
Gols: Luiz Menezes (2)
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Sylla; Franco, Alfredinho e Police; Leite de Castro, Petiot, Arlindo, Luiz Menezes e Neco.
VILA ISABEL: Carlindo, Jobel e Barbosa; Nemésio, Olívio e Braz; Alzemiro, Julinho, Bráulio, Ceci e Ceci II.

BOTAFOGO 7 x 3 BANGU
Data: 16/05/1920
Local: General Severiano, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Narciso Bastos
Gols: Arlindo (5), Petiot e Joppert / Luiz, Claudionor e Pastor
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Sylla; Franco, Alfredinho e Police; Luiz Menezes, Petiot, Joppert, Arlindo e Vadinho.
BANGU: Mattos, Luiz Antônio e Leitão; Joppert, Claudionor e Pastor; Waldemiro, Frederico, Patrick, Gomes da Cunha e Luiz.

BOTAFOGO 1 x 0 ANDARAHY
Data: 23/05/1920
Local: Rua Prefeito Serzedelo Corrêa, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Pedro Santos
Gols: Joppert
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Sylla; Franco, Alfredinho e Police; Leite de Castro, Petiot, Joppert, Arlindo e Vadinho.
ANDARAHY: Otto, Franklin e De Maria; Baptista, Bráulio e Sebastião; João, Gilabert, Apparício, Betinho e Telê.

BOTAFOGO 8 x 1 MANGUEIRA
Data: 27/06/1920
Local: General Severiano, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Henrique Vignal
Gols: Arlindo (3), Petiot (2), Joppert (2) e Police / Mazzeo II
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Sylla; Coló, Alfredinho e Police; Luiz Menezes, Petiot, Joppert, Arlindo e Vadinho.
MANGUEIRA: Milla, Fernando e Albertino; Milton, Mazzeo I e Eurico; Mazzeo II, Motta, Eurico Mendes, Simas e Queiroz.

BOTAFOGO 4 x 2 SÃO CRISTÓVÃO
Data: 04/07/1920
Local: Figueira de Melo, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Eduardo Magalhães
Gols: Vadinho, Joppert e Arlindo (2) / Braz (2)
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Sylla; Police, Alfredinho e Franco; Luiz Menezes, Petiot, Joppert, Arlindo e Vadinho.
SÃO CRISTÓVÃO: Carnaval, Reynaldo e Otto; Martins, Epaminondas e Luiz Vinhaes; Evandro, Raul, Braz, Décio e Iracy.

BOTAFOGO 1 x 2 FLAMENGO
Data: 11/07/1920
Local: Rua Paysandu, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: João de Maria
Gols: Petiot / Geraldo e Junqueira
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Sylla; Police, Alfredinho e Franco; Luiz Menezes, Petiot, Joppert, Arlindo e Vadinho.
FLAMENGO: Kuntz, Burgos e Telefone; Rodrigo, Sisson e Japonês; Carregal, Candiota, Sidney Pullen, Junqueira e Geraldo.

BOTAFOGO 1 x 3 FLUMINENSE
Data: 18/07/1920
Local: Rua Guanabara, Laranjeiras, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Henrique Vignal
Gols: Vadinho / Welfare (2) e Machado
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Sylla; Police, Alfredinho e Franco; Luiz Menezes, Petiot, Joppert, Arlindo e Vadinho.
FLUMINENSE: Ayrton, Moreira e Othelo; Laís, Sylvio Netto e Fortes; Mano, Zezé, Welfare, Machado e Bacchi. Técnico: Pode Pedersen.

BOTAFOGO 6 x 1 PALMEIRAS
Data: 01/08/1920
Local: Rua Guanabara, Laranjeiras, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Paulo de Magalhães
Gols: Arlindo (3), Petiot (2) e Vadinho / Gonçalo
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Sylla; Franco, Alfredinho e Police; Luiz Menezes, Petiot, Vadinho, Arlindo e Neco.
PALMEIRAS: François, Orlando I e Teixeira; Raul, Sylvio e Octacílio; Orlando II, Nonô, Bahiano, Gonçalo e Júlio.
Nota: O árbitro escalado não compareceu. Foi escolhido o Sr. Paulo de Magalhães para arbitrar.

BOTAFOGO 6 x 0 MANGUEIRA
Data: 08/08/1920
Local: Rua Prefeito Serzedelo Corrêa, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Vadinho (4), Petiot e Nilo
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Sylla; Police, Alfredinho e Franco; Luiz Menezes, Petiot, Vadinho, Nilo e Celso.
MANGUEIRA: Milla, Bebeto e Albertino; Pucci, Mazzeo e Coutinho; Mazzeo II, Eurico, Motta, Simas e Newton.

BOTAFOGO 1 x 3 FLAMENGO
Data: 15/08/1920
Local: General Severiano, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Vadinho / Sisson, Sidney Pullen e Junqueira
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Sylla; Police, Alfredinho e Franco; Luiz Menezes, Petiot, Vadinho, Nilo e Neco.
FLAMENGO: Kuntz, Burgos e Telefone; Rodrigo, Sisson e Dino; Carregal, Candiota, Sidney Pullen, Junqueira e Japonês.

BOTAFOGO 2 x 2 AMÉRICA
Data: 12/09/1920
Local: General Severiano, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Eduardo Magalhães
Gols: Arlindo (2) / Paulo Vianna e Perez
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Palamone; Franco, Alfredinho e Police; Luiz Menezes, Petiot, Vadinho, Arlindo e Neco.
AMÉRICA: Arlindo Nunes, Perez e Barata; Nebulosa, Miranda e Avellar; Barroso, Edgard, Chico, Paulo Vianna e M. Curty.

BOTAFOGO 3 x 2 VILA ISABEL
Data: 10/10/1920
Local: General Severiano, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Vadinho (2) e Arlindo / Ceci I (2)
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Police; Franco, Alfredinho e Braune; Luiz Menezes, Petiot, Vadinho, Arlindo e Neco.
VILA ISABEL: Carlindo, Jobel e Barbosa; Nemésio, Olívio e Bahia; Alzemiro, Ceci II, Cid, Ceci I e Julinho.

BOTAFOGO 3 x 4 AMÉRICA
Data: 24/10/1920
Local: Campos Sales, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Ayres Barroso
Gols: Vadinho (2) e Arlindo / Barroso (2), Edgard e Chico
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Nestor; Franco (Palamone), Alfredo e Police; Luiz Menezes (Victor), Petiot, Vadinho, Arlindo e Neco.
AMÉRICA: Arlindo Nunes (Ribas), Perez (Elito) e Barata; Nebulosa, Miranda e Avellar (Ismael); Barroso, Edgard, Chico, Paulo Vianna e M.Curty.
NOTA: Jogo iniciado em 24 de outubro de 1920; interrompido aos 24 minutos do 2º tempo em virtude das fortes chuvas. Concluído em 16 de janeiro de 1921, no mesmo local, tendo como árbitro Carlos Miranda Santos. No América, Ribas, Elito e Ismael substituíram Arlindo Nunes, Perez e Avellar, respectivamente, enquanto no Botafogo Palamone e Victor entraram nos lugares de Franco e Luiz Menezes, respectivamente, na conclusão da partida.

BOTAFOGO 2 x 1 FLUMINENSE
Data: 07/11/1920
Local: General Severiano, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Paulo Buarque de Macedo
Gols: Leite de Castro e Neco / Welfare
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Palamone; Franco, Alfredinho e Police; Leite de Castro, Petiot, Vadinho, Arlindo e Neco.
FLUMINENSE: Gerdal, Vidal e Chico Netto; Laís, Sylvio Netto e Salles; Mano, Zezé, Welfare, Machado e Bacchi.

BOTAFOGO 0 x 2 SÃO CRISTÓVÃO
Data: 21/11/1920
Local: General Severiano, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Adauto de Assis
Gols: Renato Vinhaes e Raul
BOTAFOGO: Oliveira, Alberto (Monti) e Palamone; Franco (Hebraico), Alfredinho e Police; Leite de Castro, Petiot, Vadinho (Nilo), Arlindo e Neco.
SÃO CRISTÓVÃO: Frederico (Carnaval), Luiz Vinhaes (Rubens) e Martins; Castro (Luiz Vinhaes), Epaminondas e Nesi; Evândalo, Raul, Renato, Dornellas e Iracy.
NOTAS:
1. O árbitro escalado não compareceu. 2. Jogo interrompido aos 29 minutos do 1º tempo, quando o placar era 0 x 0, em virtude de conflito generalizado entre os jogadores. Concluído em 9 de janeiro de 1921. O árbitro neste dia foi Carlos Miranda Santos. 3. No Botafogo, Monti, Hebraico e Nilo substituíram Alberto, Franco e Vadinho, respectivamente; no São Cristóvão, Carnaval, Rubens e Luiz Vinhaes entraram nos lugares de Frederico, Luiz Vinhaes e Castro.

BOTAFOGO 3 x 4 BANGU
Data: 28/11/1920
Local: Rua Ferrer, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Ary Azevedo Franco
Gols: Arlindo, Vadinho e Leite de Castro / Pastor (2) e Claudionor (2)
BOTAFOGO: Oliveira, Alberto e Palamone; Franco, Alfredinho e Police; Leite de Castro, Petiot, Vadinho, Arlindo e Neco.
BANGU: Mattos, Luiz Antônio e Leitão; Coquinho, Frederico e Waldemiro; Feliciano, Pastor, Claudionor, Patrick e Antenor.

BOTAFOGO 1 x 4 ANDARAHY
Data: 05/12/1920
Local: General Severiano, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Guilherme Pastor
Gols: Vadinho / Chiquinho (2), Gilabert e Cooper
BOTAFOGO: Oliveira, Monti e Palamone; Franco, Alfredinho e Police; Leite de Castro, Petiot, Vadinho, Arlindo e Neco.
ANDARAHY: Otto, De Maria e Hugo; Nicolino, Bráulio e Porfírio; João, Cooper, Gilabert, Chiquinho e Betinho.

Colaboração: Walter Iris.

RETRATO EM BRANCO E PRETO: MARTIM

 

Martim Mércio da Silveira nasceu em Bagé (RS), no dia 19 de novembro de 1910.
Um dos maiores “center-halfs” do futebol brasileiro, de muita disposição e ao mesmo tempo clássico e elegante. Essa posição, no tempo do sistema 2-3-5, se constituía num trabalho maior do que o exercido por qualquer outro em campo. Centralizava tudo, em torno dele girava um time, por isso alguns cronistas o determinavam como o pivô ou o peão de uma equipe. Havia também quem designasse o “center-half” como o eixo do time.
A carreira de Martim começou em 1928, no Guarany, de sua cidade natal, com 18 anos de idade.
No ano seguinte, transferiu-se para o Rio de Janeiro. Curiosamente, ao chegar, inscreveu-se para jogar em dois clubes: Flamengo e Botafogo, e optou pelo segundo.
Sua estréia no Botafogo aconteceu em 12 de outubro de 1929, em Vitória (ES), num amistoso que o Botafogo venceu o Floriano local, por 3 x 0.
Duas semanas depois, estreou em jogos oficiais. No dia 26 de outubro de 1930, pelo campeonato carioca, o Botafogo perdeu para o Fluminense, por 2 x 0. Martim foi substituído por Edmundo.
Neste ano, sagrou-se campeão carioca, participando de 20 jogos e marcando 3 gols.
Foi campeão brasileiro jogando pela Seleção Carioca e campeão da Copa dos Campeões Rio-São Paulo, no ano de 1931.
Em 1932 fez sua estréia na Seleção Brasileira, no dia 4 de dezembro, em pleno Estádio Centenário, em Montevidéu, na vitória de 2 x 1 sobre o Uruguai, jogo válido pela Copa Rio Branco daquele ano, troféu conquistado sobre os então campeões mundiais.
Também neste ano tornou-se campeão carioca pelo Botafogo. Esteve presente em todos os 22 jogos disputados pelo alvinegro carioca e marcou três gols.
Passou quase um ano na Argentina, contratado que foi pelo Boca Juniors, de Buenos Aires.
Fez sua estréia no dia 16 de abril de 1933, com vitória de 3 x 1 sobre o Velez Sarsfield.
Menos de um ano depois, deixou a Argentina. Seu último jogo com a camisa do Boca Juniors foi em 19 de novembro do mesmo ano, na derrota de 3 x 1 para o River Plate.
Como curiosidade, duas semanas antes, 5 de novembro de 1933, Martim enfrentou o brasileiro Petronilho de Brito, que era jogador do San Lorenzo. O Boca Juniors perdeu de 2 x 0 e Petronilho de Brito marcou um dos gols.
Os cronistas argentinos o apelidaram de "La Fiera".
Regressou ao Botafogo e foi convocado para a Copa do Mundo de 1934.
Capitão da Seleção Brasileira, participou da partida (única) contra a Espanha, na Copa do Mundo de 1934. O time brasileiro perdeu por 3 x 1.
No dia 2 de dezembro de 1934, no estádio General Severiano, o Botafogo levantou o tricampeonato carioca ao vencer o Andaraí por 2 x 1. Neste jogo Martim fez sua reestréia no Botafogo.
Voltou a se sagrar campeão carioca em 1935, o quinto título do Botafogo no período de 1930 a 1935. O Botafogo utilizou nesses seis anos 69 jogadores. Martim foi um dos que mais jogou: esteve em 81 jogos.
Esteve com a seleção brasileira na Copa do Mundo de 1938, na França, como capitão da equipe e participou de três dos cinco jogos.
Também nesta Copa aconteceu sua despedida da Seleção Brasileira, em 16 de junho de 1938, na derrota de 2 x 1 para a Itália.
Foram 27 jogos pela Seleção Brasileira (seis oficiais): 17 vitórias, 5 empates e 5 derrotas.
Permaneceu no Botafogo até 1940. Seu último jogo com a camisa do Botafogo aconteceu em 15 de dezembro de 1940, na vitória de 2 x 1 sobre o América.
No início do ano de 1941, o Botafogo acertou uma excursão ao México. O veterano Martim não só não foi incluído na delegação, como não teve o seu contrato renovado.
Para a campanha do campeonato carioca de 1944, Martim Silveira foi contratado para técnico Martim Silveira. Revelara-se nessas novas funções no Canto do Rio.
Na metade do ano, gravemente enfermo, Martim Silveira deixou a direção do Botafogo. Foi então contratado Ítalo Fratezzi, o popular Bengala.
Logo nos primeiros dias de fevereiro de 1946, Bengala preferiu voltar para Belo Horizonte e Martim foi novamente chamado para treinar o Botafogo.
Ainda foi treinador do Botafogo nos anos de 1952 e 1953.
Faleceu no Rio de Janeiro (RJ), no dia 27 de maio de 1972.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

O NOVO CT DO BOTAFOGO


O projeto do centro de treinamento para as divisões de base do Botafogo, cuja área total será de 102 mil metros quadrados, contará com um pequeno estádio para os jogos, com vestiários, arquibancada e uma tribuna. Além disso, terá dois campos (mais um de grama sintética), piscina, hotel para concentração, sala de musculação, espaço para departamento médico, área administrativa e estacionamento.
O projeto está orçado em aproximadamente R$ 15 milhões e o clube já tem um parceiro engatilhado para a construção. A obra tem previsão de um ano. Como contrapartida para receber Marechal Hermes, o Botafogo recebeu o pedido do governador Sérgio Cabral para a criação de um projeto social no local.
O clube está finalizando a proposta para ser entregue ainda nesta semana. Serão 300 crianças carentes do entorno de Marechal Hermes que usarão o espaço do novo CT para aulas de natação, vôlei e futebol. Mas a ênfase será na parte educativa e médica.
O próximo passo do Botafogo será conseguir a liberação, junto à Aeronáutica, do terreno vizinho a Marechal Hermes, que também será incluído no projeto do CT. Nesse espaço serão construídos apenas campos. As conversas estão bem encaminhadas.
Assim que receber a cessão de Marechal Hermes, o Botafogo devolverá ao Governo do Estado o Caio Martins. Segundo o presidente Maurício Assumpção, a sede de Niterói não teria mais função e seria uma despesa extra para o clube.
Enquanto o projeto do CT não sai do papel, o Botafogo realizou obras emergenciais em Marechal Hermes ao longo dos últimos dois anos. O campo, os vestiários e a fachada foram reformados. Os alojamentos foram refeitos e hoje abrigam 23 atletas, a sala de musculação recebeu novos equipamentos e um auditório, que também é usado como refeitório, foi construído. Parte dessa estrutura será aproveitada para o CT.
O Botafogo investiu mais de R$ 4 milhões nas divisões de base e conta com cerca de 250 atletas em todas as categorias.

Fonte: Lance.