Total de visualizações de página

quarta-feira, 4 de maio de 2011

CURIOSIDADES ALVINEGRAS (3): A TRAGÉDIA DE DINORAH DE ASSIS



No dia 30 de maio de 1909, Dinorah de Assis foi autor de um gol na formidável goleada do Botafogo sobre o Mangueira, por 24 x 0. Duas semanas depois, o zagueiro alvinegro tomou parte do que foi denominado “A Tragédia da Piedade”.
Domingo, 15 de agosto de 1909. Na casa de número 214, na Estrada Real de Santa Cruz, na Piedade, no Rio de Janeiro, entra um homem agitado e nervoso. Era o grande escritor Euclides da Cunha, o autor de “Os Sertões”.
Bate palmas, é recebido pelo jovem Dinorah de Assis, a quem manifesta o propósito de avistar o dono da casa, Dilermando de Assis, irmão de Dinorah e aspirante do Exército.
Dilermando era amante de Ana de Assis, mulher do escritor. Vai logo entrando na sala de visitas. Aí, saca de um revólver e diz: “vim para matar ou morrer!”. Entra no interior da casa e atira duas vezes em Dilermando que, atingido, cai.
Dinorah, vendo o irmão ferido, tenta arrebatar a arma de Euclides. Ouvem-se mais dois disparos. Outro tiro e Dinorah é atingido na coluna vertebral, junto à nuca.
Dilermando, embora ferido, consegue apanhar o revólver, atira duas vezes sem atingir Euclides. Euclides aperta o gatilho de novo e recebe um tiro de Dilermando que lhe fere o pulso. Duelo de vida e morte. Tiros de ambos os lados e um projétil atinge o pulmão direito de Euclides, que cai morto ao solo.
Com a bala alojada no corpo, Dinorah continuou a jogar e foi campeão carioca pelo Botafogo em 1910. Mas perdeu os movimentos gradativamente, advindo-lhe uma desorganização cerebral e uma hemiplegia irreparáveis (ficou paraplégico). A situação levou-o a atos de desespero, chegando a ser ingressado no manicômio até que da última vez, não se sabe se num gesto de renúncia, em 1921, ele cometeu suicídio, atirando-se nas águas do Rio Guaíba, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Dinorah tinha 31 anos.

10 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. além dos filhos, vítima inocente foi Dinorá de Assis,
    nos o povo ficamos sem a epopeia e maturidade do escritor Euclydes da Cunha
    ANNA, heroína, amou intensamente, profundamente,corajosamente com todos os extremos que esse amor pediu e impôs,fazendo dessa tragedia e seus infortúnios um verdadeiro e impar brilhante da literatura e pérola da arte universal ANNA uma heroina,amou tragicamente, Dilermando um aparente súdito, amou fatidicamente Euclydes um aparente algoz ,amou sinistramente , findando numa dramatica comovente nefasta catastrofica e fatal historia de paixões e amor

    ResponderExcluir

  4. filhos,e Dinorá de Assis as vítimas ,nós o povo, ficamos sem a epopéia e maturidade do escritor Euclydes da Cunha...os 3 personagens desse fatidico,dilacerante e poderoso amor foram vitimas e algozes do proprio infortunio ,pregado pela circunstância, pelas MOIRAS e pelos Deuses .Tudo , colaborou ,compactuou ,contribuiu e corroborou para que esse desenlace se apoderasse do REAL ,foi FATAL as artimanhas tecidas ,manipuladas pelo implacável do DESTINO, onde todos foram vitimas , e o AMOR tragico pungente,torturante,profético foi VENCEDOR se tornando SEMI_DEUS, DIVINIZANDO-SE

    ResponderExcluir
  5. Personagens desse fatídico,dilacerante e poderoso amor foram vitimas e algozes do próprio infortúnio pregado pela circunstância pelas MOIRAS e Deuses Tudo colaborou compactuou contribuiu corroborou para que esse desenlace se apoderasse do REAL foi FATAL as artimanhas tecidas manipuladas pelo implacável do DESTINO onde todos foram vitimas e o AMOR trágico pungente torturante profético foi VENCEDOR se tornando SEMIDEUS DIVINIZANDO-SE

    ResponderExcluir
  6. a felicidade depende de um imprevisto...ainfelicidade idem

    ResponderExcluir
  7. há coisas que só acontecem ao ...aparente acaso.

    ResponderExcluir
  8. Como diz a musica....Ah, infinito delírio chamado
    desejo.Essa fome de afagos e beijos Essa sede incessante de amor.
    Ah, essa luta de corpos suados.Ardentes e apaixonados.
    Gemendo na ânsia de tanto se dar .Ah, de repente o tempo estanca.Na dor do prazer que explode
    É a vida é a vida, é a vida e é bem mais.
    E esse teu rosto sorrindo Espelho do meu no vulcão da alegriaTe amo, te quero meu bem, não me deixe jamais.
    Eu sinto a menina brotandoDa coisa linda que é ser tão mulher
    A santa madura inocênciaO quanto foi bom e pra sempre será
    E o que mais importa é manter essa chama
    Até quando eu não mais puder
    E a mim não me importa .Nem mesmo se Deus não Quiser

    ResponderExcluir
  9. Anna não pode...Traduzir-se
    Traduzir-se
    Uma parte de mim
    é todo mundo:outra parte é ninguém:
    fundo sem fundo.Uma parte de mimé multidão:
    outra parte estranheza
    e solidão.Uma parte de mim pensa, pondera:outra parte delira.
    Uma parte de mim almoça e janta:outra parte
    se espanta.Uma parte de mim é permanente:outra parte se sabe de repente.
    Uma parte de mim é só vertigem:na outra parte....linguagem
    - que é uma questão de vida ou morte -será arte? sera arte sera arte

    ResponderExcluir
  10. Depois de Traduzir-se de Ferreira Gulart- So Florbella Spanca com Fanatismos, ambos lindamente cantados por Fagner

    Minh' alma, de sonhar-te, anda perdida
    Meus olhos andam cegos de te ver
    Não és sequer a razão do meu viver
    pois que tu és já toda minha vida
    Não vejo nada assim enlouquecida...
    Passo no mundo, meu amor, a ler
    No misterioso livro do teu ser
    A mesma história, tantas vezes lida!
    "Tudo no mundo é frágil, tudo passa..."
    Quando me dizem isto, toda a graça
    De uma boca divina, fala em mim!
    E, olhos postos em ti, digo de rastros:
    "Ah! podem voar mundos, morrer astros,(x2)
    Que tu és como um deus: princípio e fim!...(x2)

    ResponderExcluir